11/06/2018

Gestores das Incubadoras paranaenses se reúnem em encontro na Unicentro

A Agência de Inovação da Unicentro, a Novatec, sediou o 2. Encontro do Fórum Estadual de Gestores de Incubadoras do Paraná. O evento é promovido pela Reinova Paraná, que é a Rede Paranaense de Incubadoras e Aceleradoras de Empreendimentos Inovadores. O objetivo, segundo o presidente da Associação, Ricardo Mânica, é promover um espaço de troca de experiências entre os representantes de incubadoras do estado.

“Os nossos encontros têm por propósito básico a interação entre os associados, entre as incubadoras do estado do Paraná, trazendo as suas boas práticas, trazendo conhecimentos e, acima de tudo, também trazendo suas dores, as dificuldades que elas têm dentro do seu dia a dia, no seu relacionamento local e aquilo que a gente consegue, por meio das experiências de cada um, dar de conselho, auxiliar em alguma documentação algum, recurso que a gente possa compartilhar”, detalha Mânica.

Dessa segunda edição do Fórum, participaram, além das incubadoras de Guarapuava – a da Unicentro e a da Universidade Tecnológica Federal do Paraná -, as de Maringá, Londrina, Pato Branco e Curitiba. Para Cláudia Crisóstimo, diretora de Propriedade Intelectual da Agência de Inovação da Unicentro, o evento foi uma oportunidade para mostrar um pouco do trabalho realizado em nossa Universidade e, também, para estabelecer ações padronizadas, visando ao bom desenvolvimento das incubadoras paranaenses. “É um encontro importante para que todos estejam em sintonia, promovendo e incentivando as empresas para o desenvolvimento local e regional e, também, para que a gente consiga padronizar os procedimentos”.

Segundo o responsável pela Incubadora Tecnológica de Pato Branco, Nelito Zanmaria, e para o gerente de inovação do Sistema Fiep, Filipe Cassapo, o Fórum é um importante instrumento de orientação tanto para as incubadoras, quanto para as empresas incubadas que, por meio das discussões, conseguem compartilhar os desafios enfrentados e as soluções para eventuais problemas.

“Tanto para as incubadoras quanto para as incubadas e para os empreendimentos isso é muito importante porque traz diversas visões de problemas oriundos que, se fosse uma pessoa só, talvez não conseguisse resolver, mas, muitas vezes, problemas que vêm aqui são resolvidos de forma prática. Não apenas problemas. Nós encontramos caminhos, encontramos soluções. Então, quando você faz encontros desse tipo, você está numa família que procura e que produz soluções e isso é muito importante tanto para as incubadoras, que nesse caso têm soluções de gestão, como para as empresas incubadas, com soluções de gestão e de mercado também”, defende Nelito.

Já para Filipe, o “evento traz a grande oportunidade de gerar uma aprendizagem colaborativa e compartilhada entre todas as incubadoras, cada um com sua experiência específica, seu vínculo com a academia, com as universidades, seu vínculo com a indústria, com investidores, com as prefeituras das cidades. Dessa forma, criar um ambiente que seja propício para que todas as incubadoras possam acelerar seu próprio desenvolvimento e agregar mais valor às empresas incubadas, que são a razão de ser das incubadoras”.